SEREIA


SEREIA POEMA

 

SEREIA

por Cláudio El-Jabel

Na penumbra que se observa o vulto feminino,

Os olhos enxergam sereia,

Escondida nas pedras em declínio,

Pois não se atrevem a pisar na areia,

Em tempos venho eu observando, mas sem me aproximar,

Dizem serem elas encantos das mentes,

Das profundezas do mar,

Por vezes sinto que a vontade bate,

Uma intenção de mergulhar,

Poder conhecer seu mundo,

Observar mais perto sua beleza,

Saber se são rainhas ou princesas,

Poder quem sabe tocar,

Sentir seu encanto,

Participar de seus prantos,

E juntos em abraços ao fundo dos mares chegar.

Copyrighted.com Registered & Protected  DD0R-WGG7-DOWQ-CTZ7

Anúncios

Sobre KAMBAMI

Quode natura date, nemo negare potere.
Esse post foi publicado em POEMA e marcado . Guardar link permanente.

5 respostas para SEREIA

Obrigado pela visita, seu comentário é mais que importante é fundamental!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s