ORAÇÃO DA ESCRITA

ORAÇÃO DA ESCRITA

 

ORAÇÃO DA ESCRITA

por Cláudio El-Jabel

 

Maquiagem na escrita,

Verdade no sentir,

Trabalho sinuoso que poucos podem definir,

É quando a letra trava,

Fica presa na garganta,

E o grito que faltava,

Para trazer aquela lembrança,

Escrever é algo interessante,

Algo mágico diria,

Escrevo da vida tola,

Ou de algumas alquimias,

Assim o tempo defini,

No tempero das letras saltitantes,

Que lambuzam o teclar de palavras,

Algumas tardias,

Outras nervosas,

O sentido é mostrar de forma formosa,

Assim diria ser a poesia,

Que inspira o autor,

Ora com maestria,

Descrevendo com amor.

seal

Anúncios
Publicado em POEMA | Marcado com | 1 Comentário

VIDA DE BARCO A VELA

 

VIDA DE BARCO A VELA

VIDA DE BARCO A VELA

por Cláudio El-Jabel

 

 

Das formas como ocorrem o viver,

Por vezes escrevemos pouco,

De tudo o que queremos dizer,

Viajamos entre vários mundos diferentes,

Um ao qual chamamos normal,

Outro com o nome virtual,

E mais ainda o dos sonhos,

Onde ocorre uma mistura,

Entre o querer, o ser, e a fantasia,

Alguns são pesadelos,

Outros repleto de satisfação e alegria,

Assim a vida corre,

Ora por visões e quereres,

Ora por dificuldades e prazeres,

Uma coisa afirmaria ser certa,

Ela a vida é todo encanto,

Um laboratório a decifrar,

Onde viajamos no tempo,

Onde seguimos como caravelas ao vento,

Onde navegamos por todo esse mar.

seal

Publicado em POEMA | Marcado com , , , , | Deixe um comentário

NÓS E OS OUTROS

 

NÓS E OS OUTROS

NÓS E OS OUTROS

 

Vontade de escrever depois de tantos probleminhas corriqueiros da vida, assisti a um vídeo que por mais que seja uma verdade jogada na cara ela nos pega de calças na mão como diria meu pai. Nessa apresentação a pessoa começava com um belo sorriso, desses que penetram a alma da gente e de cara percebi um ar de budismo, sim pois somente ou quase sempre deles é que as coisas fluem de forma pacífica que te embala, que te mostra a simplicidade.

Então nos é dito que nós como pessoa como EU nada somos, pois nascemos por atos de outros, viemos ao mundo pelas mãos de outros, aprendemos pela voz e atos de outros, nos alimentamos pelo trabalho de outros, quando vamos a algum local nos divertir é pelo trabalho de outros que nos proporcionam a diversão, quando ganhamos nosso salário indiretamente são por outros que nos chegam o pagamento, quando adoecemos, são os outros que nos cuidam e até na hora de nossa morte são os outros que nos enterram e falam sobre nossa vida.

E ai pensamos em nosso maldito ego do EU, onde na verdade somos parte dos outros que somam essa massa humanitária e não muito obstante fazem parte desses outros os animais e vegetais que também vivem para compartilharem suas vidas com as nossas.

Porque ainda nos matamos com guerras?

Porque ainda nos miramos com desprezo social?

Porque ainda nos diferenciamos racialmente?

Porque ainda nos ignoramos intelectualmente?

O que somos afinal senão uma parte de outros.

Publicado em POEMA | Marcado com | 3 Comentários

LIBERDADE, ABRA AS ASAS SOBRE NÓS.

LIBERDADE ABRA AS ASAS SOBRE NÓS

Publicado em POEMA | Marcado com | 2 Comentários

DIA FRUSTANTE

 

DIA FRUSTANTE

 

DIA FRUSTANTE

por Cláudio El-Jabel

 

Hoje não estou muito a vontade,

E nem é coisa da idade,

Mas estou chateado com o tempo,

Essa bora a soprar,

Essa chuva fininha a cair,

Esses bichinhos não muito desejáveis a passear,

Enfim, temos tudo que entender,

É natural,

É natureza,

Meio chato confesso,

Já havia programado um belo passeio,

Mas com esse tempo…

Me visto por inteiro e filmes são soluções,

Aliviam a tensão,

Distraem a mente,

Para quem é muito pensante,

Se há algo frustrante é a inercia,

Mas nada que um caldinho quente não sossegue,

Quanto ao visitante,

Mesmo entendendo seu perigo,

Não ouso retirar sua vida,

Levei-o ao jardim,

Onde acredito seja,

Seu local de partida.

seal

Publicado em POEMA | Marcado com , , , , | Deixe um comentário

AROMA

 

AROMA

AROMA

por Cláudio El-Jabel

 

A descrição de um dos sentidos mais importantes,

O olfato,

E é por ele que movimentamos também nossas lembranças,

Pelo aroma, seja do café, do cheiro de terra molhada,

Dos eucaliptos, da relva que insiste em deitar-se ao sopro do vento,

Do almoço sendo preparado na cozinha ou na lenha,

Daqueles momentos que sempre valem muito a pena,

Hoje por sinal não foi diferente,

Ao sentir aquele aroma,

Minha mente já que pediu sua carona,

Era um canteiro de lavanda,

E seu cheiro inconfundível me encanta,

Pude desfrutar desse seu poder de cheiros,

Me deixar viajar em seu leito desigual,

E me alegrar com essa oportunidade,

Mesmo estando eu em uma cidade.

seal

Publicado em POEMA | Marcado com , | 5 Comentários

SOL SE PONDO

 

SOL SE PONDO

 

SOL SE PONDO

por Cláudio El-Jabel

 

Hoje olhei pela janela,

Sim para ver o belo pôr do Sol,

Mas na hora de pegar a máquina,

A mente me pregou outra de suas peças,

Esqueci onde a guardara,

Ficou para uma outra vez,

Afinal todo dia de Sol,

Ele dá seu show,

Prateia as águas do mar,

Ao ponto de cegar no olhar,

Mas ao deitar-se o vermelho com ele vem,

Muitas vezes minhas memórias também.

seal

Publicado em POEMA | Marcado com , , , , | 2 Comentários

ONDAS DO MAR

Barra

 

ONDAS DO MAR

por Cláudio El-Jabel

 

 

Lembro,

Lembro das noites enluaradas,

Do som das ondas do mar,

Dos barulhos da passarinhada,

Indo seu galho firmar,

Lembro dos brilhos nas estrelas,

E seus reflexos na areia,

Do ar sereno e suave,

Do cheiro daquela paisagem,

Das gotas de orvalho e sereno,

Salgadas em meu corpo pousar,

Dos peixes que pulavam brincando,

Após as ondas do mar virem a quebrar,

Aquele som é marcante,

Calmante da alma do ser,

Prazer de viver os momentos,

De pequenina criança,

Até já adulto e sabido,

O cheiro ainda é o mesmo,

E o som,

Ainda me embala os ouvidos.

seal

Publicado em POEMA | Marcado com , , , , | 1 Comentário

BORA

BORA

 

BORA

por Cláudio El-Jabel

 

Os ventos daqui não uivam,

Eles socam,

Chamam-no de Bora,

Ele aparece de repente,

Te toca e se aflora,

Como um nocaute,

Pode te deixar desacordado,

Pois se te derruba,

É apenas,

Ai coitado,

Não há a quem xingar,

Até que tentam,

Mas é a natureza,

Que apenas se apresenta.

seal

Publicado em POEMA | Marcado com , , | 4 Comentários

DEPRESSÃO

DEPRESSÃO

 

DEPRESSÃO

Por Cláudio El-Jabel

 

Dias de nuvens cinzentas,

Sem o calor da claridade,

Sentimentos ocultos,

Visões da verdade,

Não são as nuvens em si,

São as percepções que processo,

O vento que sopra ao rosto,

É vento bem discreto,

Na qualidade de a tudo sentir,

Muitas vezes me pergunto desse querer,

Se isso me acresce em algo,

Se de fato me faz crescer,

Nessa apresentação teatral,

O palco a todos pertence,

A peça pode ser qualquer uma,

Mas a interpretação que revela,

Obrigatoriamente deva ser inteligente,

A verdade,

O ato,

A atmosfera,

Nesse teatro da vida não é muito diferente,

Existe não somente o palco,

Mas há também a plateia com um milhão de gentes,

Esse é o mundo que vivo em percepção,

As vezes alegre, sadio,

Noutros bem deprimente.

seal

Publicado em POEMA | Marcado com , , , , | 6 Comentários