RECONSTRUIR

RECONSTRUIR

 

RECONSTRUIR

por Cláudio El-Jabel

Quando o vento nos sopra,

Sim, ele sempre nos sopra,

Vezes por brisas frescas,

Vezes bem forte e tempestuosa,

Mas sempre em nossas vidas o vento sopra,

Não há como saber,

Não há como deter,

Não há como prever,

Nem mesmo como driblar,

Bom mesmo é ter raízes,

Destas bem fortes que fincam,

Como os grandes seres da Terra,

Sequoias, ciprestes, eucaliptos, baobás,

Estas vidas muitos ventos viram passar,

Nós, pobres humanos,

Devemos sim estar em outros planos,

Achamo-nos sempre os tais,

E apenas somos, reles animais,

Não estaria aqui para ensinar sobre a vida,

Nem mesmo seria esse meu plano,

Mesmo porque sou também Ser humano,

Mas convenhamos em uma reflexão,

Observamos a tudo,

Nomeamos a tudo,

Apossamo-nos de tudo,

E caminhamos quase sempre a contra mão,

Sopra vento, sopra,

Traga-nos conforto,

Consciência, razão,

Mostre-nos o seu sopro,

Sua direção,

Seu talento em zumbir,

Espalhe todas as sementes,

Ajude a reconstruir.

Copyrighted.com Registered & Protected  ZDOI-67SH-AKL3-YC3S

Publicado em POEMA | Marcado com | 2 Comentários

STATERA

 

STATERA

STATERA

por Cláudio El-Jabel

Sonhei que escrevia,

Escrevia o que sonhava,

Algo me acordava sempre no final,

A história nunca ficava pronta,

Mas nada disso me desaponta,

Então passei a meditar,

E meditando também sonhava,

Foi quando a fantasia invadiu-me de vez,

E escrevia tanto e tão apressadamente,

Que detalhes da fantasia ficavam perdidas na mente,

Voltei a meditar com maior doutrina,

E busquei refletir bem os sonhos,

Descobri então que não eram sonhos,

Apenas uma nova forma de olhar,

Questionei-me se de fato era real,

E o real em mim veio a se aportar,

Então voltei a escrever, com medida,

Preferi descrever um pouco do ruim comedido,

E das maravilhas da vida mais livremente,

Assim vou dando um descanso a mente,

Distraindo o querer por completo,

Equilibrando assim a força desse meu universo.

Copyrighted.com Registered & Protected  M8BK-RGFJ-N8G7-VZOZ

Publicado em POEMA | Marcado com , | 6 Comentários

ANANSI

ANANSI

Copyrighted.com Registered & Protected  YONN-XYMT-GDOI-IZ5Y

Publicado em FOTO POESIA | Marcado com | Deixe um comentário

PINK FLOYD 50 ANOS

 

Pink-Floyd-Discography-Covers-Full-HD-Wallpaper

 

Lá se vão 50 anos de algo que não se explica, apenas se sente e deixa fluir.

Diferente do que o grupo afirma e do que muitos fãs acreditam, eu vejo o grupo não com 5 ou 4 membros e sim desde sempre com 8 membros em sua formação.

Acredito que Clare Torry, Dick Parry e Alan Parsons foram importantes ao ponto de se não participassem, não haveria o sonho, apenas minha opinião.

Parabéns ao sonho e a todos que dele participaram e participam.

Um presente, peguem rápido antes que bloqueiem  NOS BASTIDORES DO PINK FLOYD

PINK FLOYD 50 ANOS

“E na vitrola…”

Publicado em CANÇÃO, HOMENAGENS, VÍDEO | Marcado com | 8 Comentários

APOCALÍPSE POLÍTICO

 

20170430_184209

APOCALÍPSE POLÍTICO

por Cláudio El-Jabel

Hoje é aquele tipo de noite,

Com Hip Hop ao fundo,

Servindo de inspiração,

Esse teclado já dando tic,

E minha paciência se perdendo,

É quando rio de mim mesmo,

Afinal de que adianta reclamar?

Ou adianta?

O mundo anda cansado demais,

A moda agora partiu da tal Federal,

Alvo certo numa corrida contra corrupção,

Quando iremos parar com isso?

Não sei,

Acho que após as eleições,

Ou quem sabe a volta das inflações,

É sempre a mesma história,

Sempre o mesmo conto de carochinha,

Enojar-me já não consigo,

Pois convivo com isso quase sempre,

Reuniões que se prometem muito,

E não se cumprem nada,

A culpa é do governo, grita um louco,

Não é dos fascistas, o outro louco retruca,

E eu que também escuto uivarem resolvo me meter,

– E tem isso aqui, tem? Pergunto.

– Bem não sei, mas eu grito o que gritaram na outra reunião, se não houver aumento para o funcionalismo público a coisa para.

– Ué que mal lhe pergunte, e já não anda parado à décadas, insisto em perguntar?

– Bem também não sei afirmar, só sei que sem dinheiro não dá para embromar, quer dizer, trabalhar.

– E o caso das merendas como ficou?

– Ah o Jacinto pé de banha já disse que resolve tudo com o João da Ong Comida no Prato.

– E de onde virá a verba que mal lhe pergunte mais uma vez?

– Bem, desde que não saia do meu salário e nem da promessa de aumento, se conseguir bolachas pra esses moleques já tá bom demais.

– Mas causa de que doutor quer saber sobre o que não lhe diz “respeitio”? Com todo “respeitio” viste, apenas curiosidade, sabe como é, aqui na cidade…

– Sei, mas deixemos essa de doutor para outra gente, não sou nenhum doutor se me compreende. E continuando…, dizem que não há, que acabou faz tempo, mas sabemos bem quem manda e desmanda nesse convento, e digo isso, pois é como na igreja sabem tementes e seguidores, creem que passam pelas misérias e pelos horrores, por seus pecados, por suas incertezas, ninguém aqui é mesmo letrado, basta a eles o pão com a manteiga.

Só espero de fato que eles não acordem a tempo de perceber o quão enganados todos eles vem sendo, enchendo a bufa da corja, isso um dia ainda vai “dar ruim”, escreve o que te falo o que vai ter de corpos pelas ruas, gente penduradas pelos potes…, e olhe que não será Sábado de Aleluia e sim  bem parecido com aqueles filmes hollywoodianos de zumbis com uma diferença, lá são atores e é filme, mas aqui a coisa vai rolar no normal.

– E o que o doutor, com “todio respeitio” então sugere que façamos para nos proteger?

– Não façam nada, pois nada irá os deter, o que deveriam ter feito já demorou demais, agora é só questão de tempo e esse nunca volta atrás.

Mas se precisarem posso emprestar a vocês minha caixinha anti zumbi, vai com manual bem simples de usar, quebre o vidro, ponha no ouvido, isso…, agora é só apertar.

Copyrighted.com Registered & Protected  V010-RKE7-8TQE-ATEV

Publicado em METÁFORA, POEMA, POLÍTICA, REFLEXÃO | Marcado com | 2 Comentários

ESCÓRIA

ESCÓRIA

 

ESCÓRIAS

por Cláudio El-Jabel

 

Quando o silencio é insurgente e aflora,

Por mais que se pense no decorrer do tempo,

Que insistentemente nos indica uma grande demora,

Em um quadro patético de conclusões que já sabíamos,

Mas endossado por uma lei retrógada e decadente,

Ainda não se ateve que evoluímos como gente,

O que colhemos?

O que nos foi intimado pela justiça plantar,

No Brasil é corriqueiro,

Planta-se o crime em qualquer lugar,

Não há pudor,

Não há noção de bom senso,

Tudo é corrido e se quer a contento,

Há quem diga que se sente com isso estuprado na constituição,

A outros tantos canalhas que dizem que não,

O Brasil nunca foi uma embarcação bem concebida,

Foi feito com retalhos de tábuas podres,

Aquelas do sofrer de tantas vidas,

Onde a vergonha na cara é algo que não atrapalha,

Afinal ser brasileiro é nascer, e crescer canalha.

 
Copyrighted.com Registered & Protected 
UWYW-XR1M-TNYO-WMD2

Publicado em POEMA, POLÍTICA | Marcado com , , , | 11 Comentários

Un grande Domenica a tutti!

Domenica Pasquale

Imagem | Publicado em por | Marcado com | 7 Comentários

CABELOS VERMELHOS

CABELOS VERMELHOS

CABELOS VERMELHOS

por Cláudio El-Jabel

 

Por mais bela que fosse a menina,

Assassina,

Como seus cabelos lançados ao vento,

Por momento,

Dava para se ver no olhar,

Perdido,

Queria eu poder ajudar,

Sem tempo,

E assim permaneceu a menina,

Perdida,

Na agonia de não mais matar se prende,

Planta-se em raiz,

Não é árvore, pois não há folhas,

Mas sim bolhas,

Essas em suas mãos pequeninas,

Delicadas,

Onde a lâmina que sustenta,

Apenas tenta,

Ainda irá lhe cortar,

Não há mais o que fazer,

Não há mais o que chorar.

 Copyrighted.com Registered & Protected 
XVZJ-XUY3-4SRI-PHYB

Publicado em POEMA | Marcado com , | 3 Comentários

ÁRVORE

ÁRVORE

seal

Publicado em FOTO POESIA | Marcado com | 2 Comentários

IDENTIDADE

IDENTIDADE

IDENTIDADE

por Cláudio El-Jabel

Se existe algo que flutua como dúvida em muita gente é exatamente descobrir sua identidade seu real objetivo principal na vida. Essa dúvida muitas vezes disfarçada e escondida vai se decifrando com o passar do tempo, com as vitórias e derrotas, com os prazeres e desprazeres naturais do viver.

Há de se ter confiança sempre que tudo independente de nosso entendimento, pois já se defini bem antes da consciência. Alguns levam uma vida inteira na procura de respostas quando as mesmas já existem. Apenas se revelam com o tempo e com as escolhas. Achar que isso seja um aquário ou uma “matrix”, diria que numa visão rápida sem muito explicar podemos assim definir e afirmar num sim. Então não esperem por respostas prontas, elas virão de formas soletradas e cabem-lhes apenas estar em movimento para formar as frases. Vivam, mesmo que possa lhes parecer algo difícil, débil ou insignificante. Não se importem com códigos determinados, apenas protejam-se de não violá-los e receber punições pelos mesmos.

Falta bem pouco, afinal a consciência muitas vezes nos chega quando o tempo nos trai. Na infância a brincadeira é o foco, na juventude as aventuras, na meia idade a estabilidade principalmente financeira e nem sempre dentro desse tempo a plena consciência do existir assume sua real grandeza de esclarecimento, claro que há áreas ou caminhos que nos propiciam essa vantagem logo em princípio, mas nem todos tem o talento, o gosto ou mesmo se percebem disso. Muitos já nascem sem o sentido de descobrir, ou por receberem de herança a falsa ilusão de apenas estalar os dedos para tudo obter ou simplesmente por ignorarem o seu eu interior e ao perceberem que isso não os levou a lugar algum se suicidam internamente quando não de forma pior.

Onde gostaria de chegar?

Gostaria de chegar ao que sempre me propus, reciclar, distribuir, reinventar, incentivar, mediar, indicar, trocar, e tanto mais que possa vir a dar sentido a uma sociedade viva, respeitosa e responsável, indiferente a pequenices quando estas mesmas não venham agregar valores e sim rejeitar diversidades culturais.

Temos por obrigação já que somos eleitos como “racionais”, extirpar de vez e de forma rápida tudo que não nos traz a paz, o amor e a solidariedade. Nosso tempo se esgota, nosso tempo não para, nossas ideias devem se manter vivas, alimentadas e redistribuídas, para tornarem-se cada vez mais fortes, mais coerentes e mesmo mutantes, ainda assim visar nossa permanência de ser gente do bem, sempre.

Copyrighted.com Registered & Protected  MFBL-NKVQ-CEFD-H49N

“Na vitrola…”

Publicado em REFLEXÃO, TEXTOS, VÍDEO | Marcado com | 14 Comentários