PROCURAS


 

PROCURAS

 

PROCURAS

Por Cláudio El-Jabel

 

Onde penso que vás,

Não estás,

Onde penso que estás,

Não foi,

Procuro-te como louco,

Perco-me entre as ruas,

Becos, desnudados,

Bares sombrios,

Cheiro de fumaça ardidas,

Não te encontro porque não queres,

Não te encontro porque te escondes,

Pelas vielas,

Pelos montes,

Onde devo estar na tua espera?

O que devo falar a ti?

Volto ao meu eu,

Ao meu mundo,

Ao meu tom,

Não te sigo,

Não mais te quero,

Ah! E como isso é bom.

seal

Sobre KAMBAMI

Quode natura date, nemo negare potere.
Esse post foi publicado em POEMA e marcado . Guardar link permanente.

3 respostas para PROCURAS

  1. VEM comigo! disse:

    Belo!..

    Curtido por 2 pessoas

Obrigado pela visita, seu comentário é mais que importante é fundamental!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s