STATERA


 

STATERA

STATERA

por Cláudio El-Jabel

Sonhei que escrevia,

Escrevia o que sonhava,

Algo me acordava sempre no final,

A história nunca ficava pronta,

Mas nada disso me desaponta,

Então passei a meditar,

E meditando também sonhava,

Foi quando a fantasia invadiu-me de vez,

E escrevia tanto e tão apressadamente,

Que detalhes da fantasia ficavam perdidas na mente,

Voltei a meditar com maior doutrina,

E busquei refletir bem os sonhos,

Descobri então que não eram sonhos,

Apenas uma nova forma de olhar,

Questionei-me se de fato era real,

E o real em mim veio a se aportar,

Então voltei a escrever, com medida,

Preferi descrever um pouco do ruim comedido,

E das maravilhas da vida mais livremente,

Assim vou dando um descanso a mente,

Distraindo o querer por completo,

Equilibrando assim a força desse meu universo.

Copyrighted.com Registered & Protected  M8BK-RGFJ-N8G7-VZOZ

Anúncios

Sobre KAMBAMI

Quode natura date, nemo negare potere.
Esse post foi publicado em POEMA e marcado , . Guardar link permanente.

6 respostas para STATERA

  1. Chronosfer disse:

    Uma chave valiosa: uma nova forma de olhar. O novo sempre pode nos surpreender. Abraço, Cláudio.

    Curtido por 1 pessoa

Obrigado pela visita, seu comentário é mais que importante é fundamental!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s