APOCALÍPSE POLÍTICO


 

20170430_184209

APOCALÍPSE POLÍTICO

por Cláudio El-Jabel

Hoje é aquele tipo de noite,

Com Hip Hop ao fundo,

Servindo de inspiração,

Esse teclado já dando tic,

E minha paciência se perdendo,

É quando rio de mim mesmo,

Afinal de que adianta reclamar?

Ou adianta?

O mundo anda cansado demais,

A moda agora partiu da tal Federal,

Alvo certo numa corrida contra corrupção,

Quando iremos parar com isso?

Não sei,

Acho que após as eleições,

Ou quem sabe a volta das inflações,

É sempre a mesma história,

Sempre o mesmo conto de carochinha,

Enojar-me já não consigo,

Pois convivo com isso quase sempre,

Reuniões que se prometem muito,

E não se cumprem nada,

A culpa é do governo, grita um louco,

Não é dos fascistas, o outro louco retruca,

E eu que também escuto uivarem resolvo me meter,

– E tem isso aqui, tem? Pergunto.

– Bem não sei, mas eu grito o que gritaram na outra reunião, se não houver aumento para o funcionalismo público a coisa para.

– Ué que mal lhe pergunte, e já não anda parado à décadas, insisto em perguntar?

– Bem também não sei afirmar, só sei que sem dinheiro não dá para embromar, quer dizer, trabalhar.

– E o caso das merendas como ficou?

– Ah o Jacinto pé de banha já disse que resolve tudo com o João da Ong Comida no Prato.

– E de onde virá a verba que mal lhe pergunte mais uma vez?

– Bem, desde que não saia do meu salário e nem da promessa de aumento, se conseguir bolachas pra esses moleques já tá bom demais.

– Mas causa de que doutor quer saber sobre o que não lhe diz “respeitio”? Com todo “respeitio” viste, apenas curiosidade, sabe como é, aqui na cidade…

– Sei, mas deixemos essa de doutor para outra gente, não sou nenhum doutor se me compreende. E continuando…, dizem que não há, que acabou faz tempo, mas sabemos bem quem manda e desmanda nesse convento, e digo isso, pois é como na igreja sabem tementes e seguidores, creem que passam pelas misérias e pelos horrores, por seus pecados, por suas incertezas, ninguém aqui é mesmo letrado, basta a eles o pão com a manteiga.

Só espero de fato que eles não acordem a tempo de perceber o quão enganados todos eles vem sendo, enchendo a bufa da corja, isso um dia ainda vai “dar ruim”, escreve o que te falo o que vai ter de corpos pelas ruas, gente penduradas pelos potes…, e olhe que não será Sábado de Aleluia e sim  bem parecido com aqueles filmes hollywoodianos de zumbis com uma diferença, lá são atores e é filme, mas aqui a coisa vai rolar no normal.

– E o que o doutor, com “todio respeitio” então sugere que façamos para nos proteger?

– Não façam nada, pois nada irá os deter, o que deveriam ter feito já demorou demais, agora é só questão de tempo e esse nunca volta atrás.

Mas se precisarem posso emprestar a vocês minha caixinha anti zumbi, vai com manual bem simples de usar, quebre o vidro, ponha no ouvido, isso…, agora é só apertar.

Copyrighted.com Registered & Protected  V010-RKE7-8TQE-ATEV

Anúncios

Sobre KAMBAMI

Quode natura date, nemo negare potere.
Esse post foi publicado em METÁFORA, POEMA, POLÍTICA, REFLEXÃO e marcado . Guardar link permanente.

2 respostas para APOCALÍPSE POLÍTICO

Obrigado pela visita, seu comentário é mais que importante é fundamental!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s