QUIETUDE


QUIETUDE

 

QUIETUDE

por Cláudio El-Jabel

 

Quando perceberes minha quietude,

Deixa-me quieto,

Posso estar criando,

Ou quem sabe pensando em algo,

Imaginando,

Vislumbrando,

Sabe-se lá?

Sempre quando estou quieto,

Algo eu deva mesmo pensar,

Ainda não sei, deixa-me quieto,

Por hora é só o que peço,

Não esbraveje,

Nem pense em me contrariar,

Quando souber, venho lhe contar.

Copyrighted.com Registered & Protected 
QRM9-TBAY-A94D-OXVB

Anúncios

Sobre KAMBAMI

Quode natura date, nemo negare potere.
Esse post foi publicado em POEMA e marcado . Guardar link permanente.

6 respostas para QUIETUDE

  1. Jú Abdon disse:

    Nossa, com essa eu me identifiquei, rs.

    Adorei!!!!!

    Curtido por 1 pessoa

  2. Dani disse:

    Cláudio, peço licença para reblogar e compartilhar em minha rede social. Minha quietude como nunca foi descrita de forma simples por suas belas palavras.

    Curtido por 1 pessoa

  3. Dani disse:

    Republicou isso em D DEMODÊ.

    Curtido por 1 pessoa

Obrigado pela visita, seu comentário é mais que importante é fundamental!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s