PERGUNTA TOLA


PERGUNTA TOLA

 

PERGUNTA TOLA

por Cláudio El-Jabel

 

Então ainda na sonolência do descanso, já que meio que imobilizado fica difícil decidir, entre escrever, ver filme, comer ou qualquer outra distração. Não estou de fato imobilizado se assim o fosse estava ferrado, estou em descanso, em repouso.

Seis e trinta da manhã, nem quando estou na ativa do trabalho fico disponível nesse horário. Brincadeira… mas o telefone insiste e eu teimoso viro a ele e digo, vai se catar, isso não é hora pra me ligar. Ele ainda continua berrando e chamo de tudo, falo mal, digo uma montoeira de palavrões, aqui não dá para colocar, mas imaginem como eu estaria, ¨”****&¨%$#@%¨%¨$”.

E olha gente que nessa de eu me ausentar tive um prejuízo que nem queiram imaginar. Muita gente com quem faço contato não fecham pelo empreendimento e sim pelo talento que vendo a minha imagem. Sou um ótimo vendedor sim, mas sem mentiras, sem disfarces, apenas sei analisar o que de fato contempla meu cliente para poder dar a ele um leque de opções e a vantagem disso tudo que ele fica sabendo do preço, e nunca paga antes apenas depois. Esse é meu diferencial, garanto o que faço, sei como resolver, nem que para tanto tenha que bater na porta do Prefeito como já cansei de fazer.

E o telefone para e mais um tempinho volta a tocar. Deus do céu já avisei a todo mundo que basta me mandar um contato de Telegram que posso enviar o que for, se for até o caso faço uma vídeo conferencia, mas não me atormenta nessa hora, essa hora gosto de acordar, agradecer por mais um dia em evocação, depois tentar ir acordando devagar o tico e o teco que andam meios lerdos pelas drogas que me deram, já expliquei que nós marcianos temos uma dificuldade enorme em assimilar essas substâncias terráqueas, não sei como aguentam, mas…

Para que tenham ideia do que falo, com apenas três tulipas de chopp, já vejo a roda gigante, rsss, vocês acreditam? Não é sacanagem, mas não sou mesmo de beber e quando por algum evento o faço (dizem, socialmente) acredito que meia dúzia de tulipas já deu. Mas conheço gente que vive uma vida socialmente intensa, pois nas primeiras horas da manhã não vejo café e sim bebida, vai entender. Conheci um camarada que o café da manhã dele era uma dose dupla de Cowboy com quatro cream cracks.

Enfim o danado continuava a tocar e eu não quis nem passar o olho na tela, acho que estava meio de mau humor nesse dia. Sabe como é, há dias que estamos com o cão. Eu graças a Deus acordo mais anjo que cão, mas muitas vezes pelo contato humano acabei adquirindo essa qualidade terráquea.

Pensei comigo mesmo, já havia resolvido tudo com antecedência dois dias atrás exatamente por cumprir com minhas responsabilidades, inclusive coloquei um olhador meu para ver se ninguém anda fazendo corpo mole em minha ausência temporária. Nesse ponto sou chato, se diz que faz faça, não aceito desculpas e da mesma forma que dou a mão em uma necessidade empurro no abismo com a mesma facilidade, logo seja sempre bem sincero comigo e tem tudo a ganhar, se vier querer dar uma de esperto ou malandro, vai dançar, dessa escola fiz mestrado, doutorado, sei lá. Acredito que do convívio humano aprendi até mesmo para me defender. Não que volta e meia, não me apareça alguém apto a me passar uma rasteira, acontece, mas aguarda que vai ter troco e pior é em dobro.

Responsabilidade é algo que preso, pontualidade também, de resto nada que uma boa conversa não se ajeite. Não sou bicho papão, mas também não sou Noel, quem quer presente que cumpra seu papel. Se não sabe eu ensino, se sabe mostre que sabe mesmo.

Enfim já estava bem fulo e pronto a soltar os cachorros por ter me atrapalhado o descanso, a meditação e peguei já esperando saber quem era a “peça”.

Surpresa minha…

Toma seu tolo, seu gagá, colocas o despertador e esqueces que era a hora de acordar.

Sabe quando tentamos sair de fininho de nós mesmo? Pois é…

Enfim, sempre tento dar algum jeito de me defender e nessa eu digo: Gente a culpa não é minha, estou ainda meio que dopado, meio enferrujado, meio veio, meio cansado, meio tudo, meio nada, com essa cara lavada.

De frente ao espelho me olhei e fiz o teste que me indicaram, ficar encarando a nós mesmo e se perguntando e ai cara?

Bem fiquei, perguntei, fiz isso umas três vezes, esperei, mas não obtive uma resposta, então também não respondi.

Caí na real, tenho que voltar o mais breve que puder para minha vida normal, senão corro o risco de brigar comigo mesmo.

Lembrei-me aqui de uma citação de Bob Marley,

“É melhor atirar-se à luta em busca de dias melhores mesmo correndo o risco de perder tudo, do que permanecer estático, como os pobres de espírito que não conhecem a dor da derrota, nem a glória de ressurgir dos escombros. Esses pobres de espírito, ao final de sua jornada na Terra, não agradecem a Deus por terem vivido, mas desculpam-se por terem simplesmente passado pela vida”. (Bob Marley)

Copyrighted.com Registered & Protected  GDAI-YQRK-YI3S-N85R

Sobre KAMBAMI

Quode natura date, nemo negare potere.
Esse post foi publicado em TEXTOS e marcado . Guardar link permanente.

6 respostas para PERGUNTA TOLA

  1. miadosantos1 disse:

    Bom fim de semana. sem despertador… 🙂
    abraço,
    Mia

    Curtido por 1 pessoa

  2. Cris Campos disse:

    Bom, sorri muito…

    Curtido por 1 pessoa

  3. Hehe… Perdoe a si mesmo! 😀

    Curtido por 1 pessoa

Obrigado pela visita, seu comentário é mais que importante é fundamental!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s