HEREDITARIEDADE


HEREDITARIEDADE

 

HEREDITARIEDADE

por Cláudio El-Jabel

 

Filhos hoje ou quem sabe sempre,

Assim que se reconhecem e se soltam,

Não significa que batam a porta,

Mas para nós, somem da visão,

Arremessam-se pelo mundo,

Procuram sua libertação,

Tento muito relacionar o que era,

Com que eles são,

Tento me ver neles,

Procurar neles meus defeitos, meus acertos,

Para neles fazer minha correção, reflexão,

Mera ilusão, pobre de mim,

Eles não são meus espelhos,

Podem ter semelhanças,

Afinal são as minhas crianças,

Mas são também criações,

Seres diferentes,

Com objetivos e visões diferentes,

Não se pode confundir semelhança,

Com o que geneticamente neles foi inserido por herança,

Filhos não são espelhos de seus pais,

São pessoas como outras pessoas,

Mesmo quando aos nossos olhos,

Eles nos pareçam iguais.

Copyrighted.com Registered & Protected 
WHP9-13JP-SEUV-TWLJ

Anúncios

Sobre KAMBAMI

Quode natura date, nemo negare potere.
Esse post foi publicado em POEMA, REFLEXÃO e marcado . Guardar link permanente.

Obrigado pela visita, seu comentário é mais que importante é fundamental!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s