UM POUCO SOBRE MIM – Penúltimo Cap.


 

 

UM POUCO SOBRE MIM

Cap. V - 2

por Cláudio El-Jabel

 

Primeiramente, deixe-me explicar que quando escrevo não uso regras como, Prólogo, Prefácio, Epílogo e Posfácio, longe disso, OK! Usei o termo penúltima parte já que pretendia parar por aqui, mas lembrei que falta a abdução, logo se ela não ocorrer nesse interim, será a última parte.

Pelo simples fato de sua numeração romana ser o famoso e icônico “V”, não é de vingança tá gente, menos, pensei em vitória.

Não se assustem, mas estou com pressa. Ando me vendo como o coelho maluco do País das Maravilhas, só que na verdade não tenho País (pois cá é apenas uma colônia ), muito menos das maravilhas a não serem as que estão depositadas nos bancos de paraísos fiscais, diga-se de passagem, sonho deles, dos crápulas, a nós, somente a vontade.

E por falar vontades e em paraísos fiscais faço minhas as palavras do patrício, rsss. “No é meu, o dinheiro no é meu, não fui eu quem depositou, nem sabia que existia, nego, N-E-G-O”(com aquele sotaque estilo MALUK). Não, eu sou absolutamente “H” Onesto e de resto deixa pra lá.

Só sendo cômico mesmo em terras brasilis.

Em verdade minha pressa é de medo. Ora bolas, deixa eu os ter, são meus não seus.

Meu médico me disse:

– Fica tranquilo, vaso ruim não quebra e risos….

E eu,

– É #$@*&, isso por que não é com você.

As pobres mães sempre sofrem e olha que será agora no dia que se comemora.

Bom fiquei de dar continuidade no que havia começado, “UM POUCO SOBRE MIM”, e sempre cumpro com minha promessa, então esse capítulo que é na verdade o penúltimo, falarei um pouco, já que fiquei devendo, sobre a pesca.

Dizem que todo pescador mente, mas o que vou dizer é a “pura verdade”, de tanto pescar juntei um dinheirinho e comprei um barquinho para ficar mais a vontade.

IMG_20150323_123440013_HDR

Coisa humilde que passou aqui pelo bairro sem chamar muita atenção como podem ver na foto, o bairro é tão modesto, que nem o pobre do barquinho passou sem encalhar. Não havia altura. Gostaria de saber qual foi a empresa de logística que não percebeu isso.

Enfim, o barco acabou por não chegar, fiquei tão chateado que mandei o barco voltar.

Foi quando pensei…ora mas para que barco, para que rede, não preciso nada disso, aprendi a encantar os peixes.

Bem essa técnica milenar não tem como ensinar aqui pelo espaço a vocês, as aulas também não posso mais dar, na verdade e na mais pura verdade eu já me cansei.

Sempre antes de pescar entro na água, e me agacho um pouco. Não! Por favor, para de pensar besteira não faço xixi nem na praia nem na areia, existem banheiros e temos que nos habituar, somos Homo sapiens ou não?

É quando olho pelas espumas (brumas), pois é ali que eles se escondem ou chegam mais perto para beliscar alguma coisa.

Pronto uma vez avistado, vamos guiando o cardume assim como o bom vaqueiro conduz o seu gado.

Chegando perto da areia, já na quebrada do raso, há de ser rápido e com as mãos já na água vá por baixo e pimba, uma pequena técnica de Vôlei, que chamamos de “Manchete” e o pobrezinho voa para fora, caindo na areia. Devemos ser bem rápidos para não ferir o bichinho e ter já preparado um balde com água. Assim podemos por ele dentro esperar ele reagir do susto, olhar para ele, admirar e não deixar por muito tempo para com ele ao mar retornar.

Se eu como peixe?

Claro! Nada contra veganos, mas como tudo que a Terra dá, menos gente, e não desta forma que pensaram, bom deixa pra lá, depois eu que sou sacana.

Ta bom, conheço bem como a cabeça de vocês pensam.

Bom e voltando ao assunto como e muito, adoro comida japonesa. Sou Gaúcho no sangue de Tupanciretã (Terra da mãe de Deus), mas prefiro o peixe à carne de boi.

Não sou Deus apesar de minha mãe ser de lá, mas nem Maria ela veio a se chamar.

Acredito que o problema desse dilema todo esteja sacramentado a milênios de anos em meu passado, El-Jabel é nome sagrado de onde Moisés desceu com os mandamentos, terras de meus ancestrais, Kambami, meu nome iniciático que reflete por quem verbalizo, o Pai, ou pelo apelido Kael que segundo dizem tem o significado no idioma irlandês de “Poderoso guerreiro”.

Kael também em algumas interpretações é visto até como anjo caído, mas na verdade Kael é Anjo sim, mas deixarei que leiam por vocês mesmos aqui https://www.wattpad.com/story/60650036-kael-renascendo-para-o-amor

É chato isso?

Sim! Muitas vezes ficamos nos achando algo especial, imortal tipo do Clã MacLeod. E enquanto escrevo ainda lhes digo tô aqui, morrendo de medo, rssss.

Não precisem perguntar, puxa mais cadê o acompanhamento psicológico para essa criatura? Coitado!

Tenho e muito, sou paparicado, mimado, vocês nem imaginam, mas e daí, não posso ter medo?

Bom e a pescaria, já enrolei dei voltas e imagem dela que bom nada falei.

Calma gente me deixa desabafar. Agora já sabem o por que de quando havia quem me ouvia, ficávamos a noite inteira mais um pedaço do dia. O coisa boa, em volta da fogueira, tomando café e proseando de tudo até mesmo besteira. Isso sim é filosofar, o  resto são coisas que é melhor nem falar.

Gosto de nadar também seja por cima ou em mergulho. Hoje não me permitem mais ficam me monitorando como podem perceber no filme.

– OH meu Deus cadê a criança que se perdeu?

É quando me pergunto…tenho culpa de ser meio super-herói, nesse caso tipo “O Homem do fundo do mar”

Não vou por ele todo, apenas partes e colagens, senão fica algo enorme e pode aparecer muita bobagem. Então aqui tá um filme rápido do nado, do Oh, e da pesca não necessariamente nessa ordem.

Amigos/as curtam o barco que dispensei, os pobres peixes que caíram na rede e os que peguei com as mãos esses eu devolvi  os da noite não, foram consumidos na boa conversa de amigos e cerveja), coloquei o nome desse que ficou me olhando de Teobaldo, não sei por que, mas que ele tem cara disso tem.

Ainda tem post para quarta e quinta, depois só quando receber alta, mas fiquem tranquilos vão ler muita coisa medrosa, muito apelo ao papai do céu, sabe como é, devo fazer média com ele, devo berrar como bezerro, também afinal o medo é meu e de mais ninguém.

Bom, estou cheio de pressa devo correr, e sobre a abdução, sei que também prometi, mas esse último capítulo deixarei para quando voltar da cirurgia vai que resolvem me abduzir por eu contar para vocês com sorriso e alegria.

 

PS – Espero de fato que estejam rindo muito, mesmo sendo às vezes algo triste ou pesado, tenham certeza, estou tranquilo, tenho Deus, Família e amigos queridos ao meu lado. (amiga, acho que Whatsapp e Telegram, vou poder usar as escondidas, mas caso não dê, também não deva demorar muito para ter alta, sou marciano e a cicatrização é muito rápida).

 

Copyrighted.com Registered & Protected  7HKQ-N6KB-NSF3-0K28

Anúncios

Sobre KAMBAMI

Uma metamorfose humana do conhecer e aprender. Simples porém exigente. Bem sobre o autor desse blog, me parece ser um cara legal, gosta de conversar, dar pitacos aqui e acolá. Procuro ser o mais sincero que a vida me permite, adoro amizades, sou tímido acreditem também uma metamorfose ambulante como diria Raul. Adoro cozinhar, mas na escrita sou mesmo comilão, como acento, concordância verbal, minha gramática de fato anda bem mal, mas sou um cara legal. Tenho muito gosto em escrever o que me vem à mente ou o que me chega aos ouvidos e visão, sou um observador nato desde minha aparição. Aqui é um palco de teatro não se engane há muito de quem escreve e muito de fantasia, mas não há bilheteria, então sinta-se a vontade, puxe sua cadeira e sente, estou quase sempre presente, me enrolo muitas vezes nessa de seguir quem me segue, me perco nesse mundo danado de internet. Não sou esnobe, sou pessoa bem simples, gosto da natureza, da boa mesa, do bom papo, não tenho hora, não uso relógio para controlar meu tempo, a muito me deixei ser levado ao vento, ora furioso que me derruba e machuca, ora bondoso que me embala em doçura. Chamo-me Cláudio El-Jabel, também podem me chamar de Kambami ou Kael, adoro distribuir carinho sem intenção outra que não seja da amizade ser bela, ser amiga, ser sincera, entendo que nossa vida é algo muito rápido e nem sempre dá tempo de nos conhecermos melhor, mas essa é minha apresentação, muito prazer, eu não esqueço vocês, já os tenho em meu coração, sejam bem vindo então.
Esse post foi publicado em TEXTOS e marcado . Guardar link permanente.

11 respostas para UM POUCO SOBRE MIM – Penúltimo Cap.

  1. miadosantos1 disse:

    que beleza de prosa caro senhor :-). muito bom. parabéns K. as melhoras, que corra tudo pelo melhor!
    Beijo,
    Mia

    Curtido por 1 pessoa

  2. Gostei de seu post…. e melhoras!

    Curtido por 1 pessoa

  3. Caraca! Essa de pescar na raquetada de mão ganhou de mim com a do camarão que numa marola ficou preso no meu biquine 😀

    Vendo a bandeira do vídeo… lembrei dessa: O trecho que não tem quebrada de onda – que ela não faz espuma – aí não se deve entrar. Tem correnteza.

    E como estou entrando de trás para frente… São histórias de antes da sua hospitalização? Ou irá baixar hospital novamente?

    Curtido por 1 pessoa

  4. Vou sair para um banho… mas indo rindo 🙂
    Volto depois…

    Curtido por 1 pessoa

  5. lumenezes40 disse:

    E aí, amigo? Quais as novidades? Aguardando notícias!!!!!

    Curtido por 1 pessoa

Obrigado pela visita, seu comentário é mais que importante é fundamental!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s