UM POUCO SOBRE MIM (Cap.IV)


UM POUCO SOBRE MIM
Capítulo IV
por Cláudio El-Jabel

Bom dia!
Só para contrariar, hoje vou falar um pouco dos meus gostos de minha família, meus amores e meus queridos professores, aproveito também para dizer um pouco do que penso sobre a magia de sumirem alguns bogueiros.
O dia amanheceu nublado, meio chuvoso, o frio resolveu mandar recado e apareceu de vez aqui pelo Rio. Não sou chegado a frio, gosto mais do calor, tenho nas veias sangue de gente do deserto, de pirâmides e de camelos, de mulheres secretas e belas e que não desfilam seu corpo por inteiro.
Mas pretendo dizer que hoje foi o dia de fazer minha simples “varredura”. É quando vou na minha lista de quem sigo e verifico se ainda estou seguindo, pois muitas vezes não percebo, nem recebo mais postagens e fico pensando se é problema meu, se do WordPress ou ainda se fiz alguma bobagem (apertar botão errado) coisa normal, rsss.
Bem não sei por qual motivo, mas muitas pessoas são bem passageiras, passam até rápidas demais. Ok, tudo bem, blog não foi feito para se prender a ninguém muito menos nele ficar preso. Cada qual tem sua fase, sua vontade é o que entendo. Alguns pelo carinho até nos avisam que vão dar um tempo ou que de fato estão partindo para outros trabalhos, outras plataformas. O que não entendo é os que desaparecem assim feitos mágicos. Enfim…poderiam pelo menos deixar o blog ali, para as respostas que foram dadas nas postagens servirem de referencia a alguém que pesquise ou procure por respostas, assim penso.
Eu me atrapalho com tanta mudança de tecnologia, ainda prefiro meu PC a um Laptop que vive pedindo para carregar a bateria. Vou trocar o meu PC, já deu o que podia coitado, e estou com vontade de junto pegar um Tablet para poder escrever quando estiver fora, no meu celular isso não rola, me atrapalho ainda demais com ele. Até para atender chamadas nunca sei se é para tocar no quadrado verde ou arrastar o mesmo. Mas adorei o viva voz a navegação o poder entrar em meus drives virtuais, os emoticons, os truques para fotografias, enfim, é de fato muita tecnologia.
Tenho por formação uma profissão que nunca exerci, pra dizer a verdade, dei aulas por um ano e meio no máximo, depois disso abandonei de vez. Educador físico só ganha grana, dinheiro com futebol que odeio.
Queria dar continuidade em me tornar um “cientista maluco” e lá fui eu para Rural, mas estudar em tempo integral não estava em meus planos e me aventurei pela vida, tornei-me empreendedor, colocava dinheiro em projetos, alguns faliam, outros até deram certos.
Foi quando sonhei em chutar o balde e tornar-me fotógrafo ou quem sabe explorador da National Geographic ou ainda do Instituto Jacques-Yves Cousteau, foi quando apareceu essa linda libélula e meus olhos e coração então se aposentou.
Casei, tenho dois filhos, e por enquanto uma filha linda (norinha) que me chama de sogrinho, me faz mil mimos, enfim, não digo nada ao meu filho, mas acho que ela gosta mais de mim, rsssss.
Meu caçulinha é bem doidinho como eu era, é piloto e é fera, mas eu ainda piloto melhor que ele, pelo menos o record da pista é meu não dele. Começou com o que vem no sangue de família, a tendência a Psicologia, ainda está cursando a mesma assim como minha norinha que também é Psicóloga, mas ele também adora essa parte de automobilismo então acredito que ele vai começar uma segunda jornada que seria engenharia mecânica. O meu mais velho é doutor em finanças formado pela UGV, acho que puxou mais o lado da mãe que de matemática não saco nada, tenho pavor, até hoje se me perguntarem quanto é zero mais zero respondo na lata são dois zero e ponto final.
Vou lembrar um pouco do meu passado ainda em tempo de 2º Grau, para vocês que são novos o nome mudou agora é Ensino Médio, que se fosse a minha época poderia eu chama-lo de Ensino “Média”, pois o que eu fazia de média com meus mestres é de rir ou de chorar, leiam e depois fiquem a vontade para comentar.
Ainda bem que sempre fui muito amigo de meus professores e sempre que aparecia o resultado da prova de matemática, corria eu na minha fessora e dizia:
– Tem algo errado aqui fessora,
E ela…
– Tem sim, você não estudou e só não te dei zero, pois colocou nome na prova,
– Faz isso não fessora, vai me prejudicar, olha a minha nota em biologia, nem prova faço, o fessor fica na porta e dou aula no seu espaço,
– O Ricardo é doido, isso sim, deixa a pedagoga ver e levar para Lili,
– Mas a fessora Luiza também me deu 10,
– Claro você vive cantando pra ela a musica do Tom, “Vem cá, Luiza, me dá tua mão…”, ela se encanta e cai na sua lábia.
– Mas fessora então o que me diz do fessor Pacheco? Ele também me dá 10,
– Sim, pois nesse caso e somente nisso, nas aulas de literatura sabes dissertar poemas como ninguém, alias tu tem uma lábia que ninguém na escola tem,
– E o que me diz então da fessora Soninha (toda pura)?
– Olha deixa o professor Ricardo saber que você fica na porta quando ela vai entrar na sala, você tá muito senvergonha isso sim, tu não se enxerga não?
– Poxa fessora eu só fico na porta para ajuda-la a carregar os livros,
– Sei, tô sabendo,
– E o que me diz então do fessor Malta? Também só tiro 10 ele ainda me deixa orientar as meninas nas aulas de ginastica de solo.
– Sim e a quantos anda sua coleção? Só de meu conhecimento fiquei sabendo que você e o filho do diretor prometeram em troca de um beijo que uma delas ganharia como a miss da escola. Na minha lista já sei que prometeu a “Tininha”, a “Ana”, a “Keli”, a “Rosângela”, a “Márcia”, e até a “Debora”, Cláudio afinal com qual delas pretende namorar?
– Não pode ser todas não fessora, meu coração é apaixonado, não consigo escolher,
– Bom chega de papo e vai sentar, tenho muita matéria nova para passar,
– Mas fessora e essa nota vermelha ai como fica, vai me prejudicar,
– Tá vou te ajudar, vou fazer com você uma arguição, tá bom? Mas só para balizar ela, 10 nem pensar,
– Tá bom fessora querida, só um detalhe, já que a senhora decidiu pela arguição, é meu direito escolher a pergunta, então fica assim, só entre nós, me pergunte quanto é 2 mais 2 e eu lhe respondo 22 e tudo certo,
– Correto, só você mesmo meu querido maluquinho, vai sentar que dou-te um trabalho pra casa, faça direito e eu mudo a cor da nota,
– Ah, brigado fessora, por isso que te amo tanto.
E que saudades de minha Mestra Laudicéia, não conseguiu por em minha cabeça a matemática dos números, mas sim a matemática do amar.
Minha eterna homenagem a todos meus Mestres que tive o privilégio de tê-los. Jamais irei esquecê-los.
Agora que leram um pouco mais, podem comentar, isso alegra meu coração, minha mente, é sopro de semente me ajude a germinar.
Quanto a falar sobre a abdução, sei que tô no enrola, mas é que como poderia eu falar de Marte se a melhor parte me foi a escola?
Será que no capítulo V a coisa rola? Não sei fiquem ligados se eu não for abduzido, prometo que uma ora trago.
Beijos nos corações!

Copyrighted.com Registered & Protected  XGNP-UVLT-O3ZH-LN4P

Anúncios

Sobre KAMBAMI

Uma metamorfose humana do conhecer e aprender. Simples porém exigente. Bem sobre o autor desse blog, me parece ser um cara legal, gosta de conversar, dar pitacos aqui e acolá. Procuro ser o mais sincero que a vida me permite, adoro amizades, sou tímido acreditem também uma metamorfose ambulante como diria Raul. Adoro cozinhar, mas na escrita sou mesmo comilão, como acento, concordância verbal, minha gramática de fato anda bem mal, mas sou um cara legal. Tenho muito gosto em escrever o que me vem à mente ou o que me chega aos ouvidos e visão, sou um observador nato desde minha aparição. Aqui é um palco de teatro não se engane há muito de quem escreve e muito de fantasia, mas não há bilheteria, então sinta-se a vontade, puxe sua cadeira e sente, estou quase sempre presente, me enrolo muitas vezes nessa de seguir quem me segue, me perco nesse mundo danado de internet. Não sou esnobe, sou pessoa bem simples, gosto da natureza, da boa mesa, do bom papo, não tenho hora, não uso relógio para controlar meu tempo, a muito me deixei ser levado ao vento, ora furioso que me derruba e machuca, ora bondoso que me embala em doçura. Chamo-me Cláudio El-Jabel, também podem me chamar de Kambami ou Kael, adoro distribuir carinho sem intenção outra que não seja da amizade ser bela, ser amiga, ser sincera, entendo que nossa vida é algo muito rápido e nem sempre dá tempo de nos conhecermos melhor, mas essa é minha apresentação, muito prazer, eu não esqueço vocês, já os tenho em meu coração, sejam bem vindo então.
Esse post foi publicado em TEXTOS e marcado . Guardar link permanente.

15 respostas para UM POUCO SOBRE MIM (Cap.IV)

  1. Zena Ribeiro disse:

    Que legal! É bom conhecer um pouco do universo dessas pessoinhas queridas que encontro por aqui. Super me identifiquei com sua fase escolar, é uma fase que nos rendem lembranças eternas, temos algo em comum, a péssima relação com a matemática rsrsr. Voltarei mais vezes! Bjo 🙂

    Curtido por 1 pessoa

  2. Saudades dos meus professores Tb. Adorei sua história toda.
    Coincidência, eu tava pensando no mesmo assunto dos blogs e Tb faço as mesmas perguntas.
    Quando alguém começa a me seguir Tb passo a seguir a pessoa. Algumas seguem-me, mas nunca clicam curtir, nem comentário. Talvez clicaram para divulgar o seu blog, talvez gostaram de alguma matéria e de outras não. Eu gosto dos blogs q as pessoas escrevem, não q traduzem, vira revista.
    Eu aviso qdo vou me ausentar. Só não sei se tem importância p quem me acompanha. Acho q deve ter para alguns.

    Curtido por 1 pessoa

    • KAMBAMI disse:

      Sim mas isso é normal, eu chamo de sintonia. Muitas vezes escrevo sem antes visitar meus amigos blogueiros e quando leio, buhmmmm, caramba, é o mesmo assunto só que de forma diferente. Claro que aproveito e interajo de imediato, ainda aproveito e brinco falando “eu sou teu plágio”. Em relação a blogosfera, entendo e aprovo sim o espaço para uma manifestação livre, sei que muitos falam de si de seus tormentos, outros preferem definir o blog como uma vitrine de arte, de música, de artistas, de fofocas, de política. Outros ainda aproveitam para usar como uma plataforma de negócios o que é super normal ainda mais nesses dias de crises. O fato de clicar ou seja o que chamam de “LIKE” nem sempre significa que leram seu espaço, apenas clicam quase que no automático. Outros preferem uma interação, deixam pitacos, concordam, discordam, colocam seus pontos de vistas, alguns e ai são bem poucos mesmos, se apegam de tal forma e com tanto carinho que tornam-se parte de nós, de nossa família.
      Eu adoro interagir, dar incentivo, dar pitacos, brincar, fazer molecagens, alguns até trollar (no bom sentido) uma trolagem sadia apenas zoando, tipo quando alguém posta uma receita e ai você vai lá e brinca dizendo, “isso depois diz que a balança é sua inimiga”, rssss.
      O avisar quando iremos nos ausentar por qualquer motivo, acredito eu que em princípio é o respeito e o carinho com todos aqueles que interagem conosco e em segundo para não deixar-nos com uma certa preocupação de pensar, “puxa o que aconteceu com fulano ou fulana, eu adorava o blog dele/a e de interagir, o que será que houve”.
      Bem eu pelo menos penso assim, sinto assim. E me apaixono por qualquer mimo ou atenção mas sempre sabendo respeitar e não levar para outro sentido.
      Penso eu, a vida é algo tão lindo, tão belo, as pessoas ainda não se aperceberam que somos apenas um grande organismo que acha que pensa independente, acha que sofre sozinho, acha que ama diferente, acha que esteja superior em algo, enfim, apenas acham. Somos todos assim é o que chamamos de individualismo, ou própria persona, mas no fundo mesmo estamos conectados queiramos ou não. Somos partículas de um mesmo Cosmos, somos regido pelo efeito de ação e reação, enfim isso é um papo bem longo e que fazia muito em tempos atrás, onde o Sol se punha, a Lua e as estrelas passavam, e o dia clareava e ainda estávamos sentado em torno da fogueira tentando decifrar o nosso EU individual. Como diziam meus Mestres, podemos andar pelos mesmos caminhos, porém nossa percepção sempre será desigual, para tanto o interagir torno-se a diferença entre crescer e permanecer.
      Adorei sua interação, faça-a sempre, assim vamos nos moldando, aparando aqui, acolá e saindo sempre do mesmo lugar. 😉
      Olha a coincidência, acabei de te responder e quando fui ler os blog que sigo veja o que encontrei. Te pergunto há ou não sintonia como te falei?
      https://papodefran.com/2016/04/29/aquela-moca/comment-page-1/#comment-270

      Curtido por 2 pessoas

  3. Gosto da sua escrita solta, às claras, ao máximo que as palavras (e a auto-crítica) permitam, como você disse em outro post. Varreduras são necessárias, assim para lembrar que não se pode parar.
    Obrigada pela citação acima e estava com saudade de visitar o seu espaço, ainda bem que sempre há tempo da gente voltar!

    Curtido por 1 pessoa

  4. Silvia Souza disse:

    Estou adorando saber mais sobre você, Claudio!
    Beijo grande!

    Curtido por 1 pessoa

  5. Lunna Guedes disse:

    Eu surto com os blogues, às vezes, sigo vários… comecei a blogar em 2002 (ainda em Portugal) e desde então já tive vários blogues. Sou inquieta, me canso e invento outro personagem para escrever. Nunca sou sou eu ali, embora tudo se misture numa grande salada mista. Mas sempre deixo rastro. Mas já me perdi de alguns blogueiros, alguns migraram para o facebook, outros apenas pararam porque era moda e ela passou. Eu continuo a gostar dessa ferramenta, mas no começo de abril, surtei e apaguei todo o conteúdo, permaneci Catarina ou mudei sem me dar conta. rs

    Achei interessante ler-te nessa condição atemporal… rs
    bacio

    Curtido por 1 pessoa

  6. Olá…
    Fazia tempo que não vinha aqui, e vc também andou sumido…rs E agora confesso o ‘mea culpa’: sou danada para seguir o blog dos que me seguem…hahaha sacanagem… Mas quando vejo meu dia já foi… e penso: caramba, mas eu não li. Os que estão com fan page no facebook, acaba sendo mais fácil de acompanhar… mas… sinto falta dos meus leitores cativos quando eles não aparecem nem com um ‘curtiu’… hahaha
    Fico só de olho…
    BTW, não achei a parte 1 do seu relato… estou cega?
    Abraço e força aí, que temos que ir em frente, pq atrás vem gente. E no meu caso, aqui na China, é muiiiiiita gente!
    Zái Jián!

    Curtir

    • KAMBAMI disse:

      Bom dia Christine! Não esquenta que eu também me perco muito em tentar manter tudo em dia, mesmo porque me baseio no que o WordPress me apresenta como postagens dos amigos e muitas vezes ele omite isso ou eu é que não domino, mas quando percebo muito tempo sem novidade, vou pela forma ancestral mesmo, acho o perfil, dou um clik nele para entrar no avatar e dali saber qual é o link do blog. Ufa, viu como sou dinossauro, rssss. Aqui graças a Deus esta tudo prosseguindo como deve ser, não sou muito de mudar, mas também não deixo de lutar. Grande beijo e obrigado pela força. Segue o link abaixo. Zái Jián!
      https://kambami.wordpress.com/2016/04/23/um-pouco-de-mim-cap-i/

      Curtido por 1 pessoa

Obrigado pela visita, seu comentário é mais que importante é fundamental!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s