NAMORO DO SOL E DA LUA


NAMORO DO SOL E DA LUA

NAMORO DO SOL E DA LUA

por Cláudio El-Jabel

 

Quero estar alegre, para quando o Sol chegar,

Permanecer contente, enquanto ele brilhar,

Segui-lo durante o dia e ao entardecer,

Onde ele recolhe-se e eu também irei me recolher,

Mas festejei bastante enquanto perdurou sua luz,

Subi pela montanha, para estar bem perto,

Passei por labirintos nas pedras onde o vento cantava,

Desci até a praia onde o mar com sua espuma brindava,

A noite foi se chegando de mansinho,

Com o nascer da lua ainda meio que escondida,

Brincando por trás de algumas nuvens,

Que apareciam ao entardecer,

Que na verdade vieram não para tapar a lua,

E sim ajudar ao Sol se esconder,

Andorinhas dão seu balé de revoada,

Também mandando seu recado a toda passarinhada,

Hora de dormir, voltar para seu ninho, seu poleiro,

Tudo recomeça amanhã,

Onde terão o dia inteiro,

É quando surgem novos cantores,

São as cigarras a anunciar boas novas,

Quando cantam sem parar uma coisa é certa,

Ou é chuva que se aproxima,

Ou calor que irá renascer,

Dias ensolarados e quentes,

Que convidam as criaturas a se banhar,

Seja nos rios, cachoeiras ou nas ondas do mar,

A chuva quando cai levanta o cheiro de capim,

Rega com fartura as fruteiras,

Que ofertam seus frutos a todos que se aproximam,

Com doçura igual ao mel,

Mas sem melindres de ferrão,

Exigem apenas de quem consome, um pouco de atenção,

Seus frutos ficam em pontas de galhos,

Nem sempre ao alcance das mãos,

Então muito cuidado na aventura,

Para que possa apreciar tal doçura,

É chegada a hora de gala,

E deslumbrante e vestindo-se de prata ou dourada,

Vai desfilando sem pressa a rainha dos sonhos,

Com seu encanto mágico e luz fria mais brilhante,

Ela a Lua passa toda noite bem maquiada e exuberante,

Tão bela e excitante, que até o mar se levanta,

Abre a ela uma passarela toda iluminada,

Com flash reluzentes que piscam e despontam,

Que parecem mais que tapetes e sim manta,

Não de pele e sim de brilhantes,

Pois ofusca o seu brilho,

Assim como diamantes,

Por noite adentro ela se move,

E ao perceber o Sol acordar,

Muitas vezes com vergonha ela se esconde,

Mas em outras tantas ela fica com ele a nos brindar.

 

Anúncios

Sobre KAMBAMI

Quode natura date, nemo negare potere.
Esse post foi publicado em POEMA, REFLEXÃO e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para NAMORO DO SOL E DA LUA

Obrigado pela visita, seu comentário é mais que importante é fundamental!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s