PARADOXO


PARADOXO

PARADOXO

por Cláudio El-Jabel

Antes de tudo me pergunto se tem,

E se assim o é como será?

Passo para o outro lado ou fico no de cá?

Falam tão bem de lá que fico querendo conhecer,

É uma dúvida saber como lá é o amanhecer,

Tenho concepções de imagens e filmes que vi,

Mas daí a ser realidade há diferenças,

Vai que do lado de lá não existem lembranças,

Se de fato tivesse como controlar o querer voltar,

Sim, pois ficou para trás uma construção,

Seja ela sentimental, pessoal ou coisa até maior,

Um trabalho de mudança quem sabe,

Algo que facilitasse a vida aqui,

E quando menos espera chega o bilhete de viagem,

Não sei mas me parece até bobagem,

Muitos pedem para ir,

Outros porém brigam para ficarem,

Será que apenas existem estes dois lugares?

Parece coisa do cotidiano de cá,

Sempre trilhando entre duas coisas,

Como se não houvessem mais opções,

Ficamos na esperança ou fugindo desse ato,

Lutar e ficar aqui, ou passar para outro lado?

Anúncios

Sobre KAMBAMI

Quode natura date, nemo negare potere.
Esse post foi publicado em METÁFORA, POEMA, REFLEXÃO e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Obrigado pela visita, seu comentário é mais que importante é fundamental!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s