APENAS SEIS ANOS


6 ANOS

APENAS SEIS ANOS

por Cláudio El-Jabel

A que ponto podemos chegar?

Interessa-lhe a pergunta?

Já parou alguma vez e pensou nela?

Pois é caro amigo e amiga,

Eu penso nisso desde pequeno,

Quando fitava o céu estrelado,

E mesmo ainda moleque,

Entendia o tamanho do Cosmos,

Ficava fitando as estrelas na busca de algo encontrar,

Criança ainda percebia apenas o brilho,

Algumas pareciam piscar,

Outras de tempos em tempos se moviam,

Saiam da linha de visão,

E tantas outras novas apareciam então,

Não sabia ainda que quase todas já tinham nomes,

Algumas nem estrelas eram,

Mas como criança, percebia apenas o brilho,

Com seis anos não tinha eu orientações de astronomia,

Nem sabia direito o que fazia,

Apenas fitava, olhava com olhos fascinantes,

Até entender que muito daquilo que fitava,

Poderia já não mais existir a bilhões de anos,

E eu pobre criança, apenas seis anos.

Anúncios

Sobre KAMBAMI

Quode natura date, nemo negare potere.
Esse post foi publicado em POEMA, REFLEXÃO e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Obrigado pela visita, seu comentário é mais que importante é fundamental!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s