RECOMEÇO


RECOMEÇO

RECOMEÇO

por Cláudio El-Jabel

Início de algo inacabado,

Algo que por algum motivo foi deixado de lado,

Algo que de certa forma foi interrompido,

Mas de certa forma nunca esquecido,

Guardado a sete chaves dentro da mente,

Aparece e se rompe de repente,

Saindo não de dentro da gente,

Mas sim do eco que reverbera,

Algo que ficou em espera,

No aguardo do tempo quem sabe,

Imagem congelada, miragem,

Sai como flor e se aflora,

Vem com força de dentro pra fora,

Rompe conceitos, exige direito,

Manifesta seu poder,

Reabre como a flor

Que reluta em botão,

No aguardo da luz ou da escuridão,

Para mostra-se, aparecer,

Relutante, não fica por muito tempo,

E assim como aparece se esconde,

Reabrindo quando ocorra vontade,

Ou quem sabe, se muda a paisagem,

Sabendo de fato o exato momento,

Assim como um Ser aguardando o pretexto,

Mostra-se ao mundo, realizar o recomeço.

Anúncios

Sobre KAMBAMI

Quode natura date, nemo negare potere.
Esse post foi publicado em POEMA, REFLEXÃO e marcado , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Obrigado pela visita, seu comentário é mais que importante é fundamental!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s