ARCO E FLECHA


ARCO E FLECHA

ARCO E FLECHA

por Cláudio El-Jabel

O arco e a flecha,

Apontado na mira de origem certeiro,

A cobiça do alvo de seu arqueiro,

Viaja sem ter na verdade nada com seu desfecho,

Podendo acertar seu alvo ou o forasteiro,

A flecha em si é um sinal de sentido,

Um caminho que deve percorrer,

Voando bem rápido, cortando o vento,

Se desprendendo do seu corpo o arco,

Se lançando por completo no espaço,

Seu zumbir é supersônico,

Ao ser percebido a muito já passou,

Deixando um rastro no ar,

Procurando o que encontrar,

Nem toda flecha atirada atinge seu objetivo,

Muitas são de fato lançadas para se obter direção,

É como apontar para o escuro e receber o clarão,

Lançar flechas não é algo apenas de caçador,

Lançamos sempre quando tomamos decisões,

Seja nas atitudes, sejam em palavras,

Flechar é tomar sentido,

Partir em busca do desconhecido.

 

Anúncios

Sobre KAMBAMI

Quode natura date, nemo negare potere.
Esse post foi publicado em POEMA, REFLEXÃO e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Obrigado pela visita, seu comentário é mais que importante é fundamental!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s