CARAS E ROSTOS


CARAS E ROSTOS

CARAS E ROSTOS

por Cláudio El-Jabel

 

Interessante saber, ou quem sabe perceber,

Ao andar pelas ruas muitos rostos se ver,

Entendo e compreendo muito bem,

Que nem todos que esbarro ei de guardar,

Mas existem outros que jamais vão se apagar,

Existe nesse mundo muita coisa semelhante,

Uma delas é confundir caras e rostos,

Parecem ser a mesma coisa, mas não a são,

Caras são apenas formas que passam,

Rostos, bem diferente do pensar,

Ficam marcados na mente por algum motivo,

Ou fizeram parte de nossas vidas,

Ou tornaram-se pessoas em destaques,

Bem diferente das caras,

Que só preenchem as paisagens,

Rostos do passado podem ser perturbadores,

Tentamos sempre nos lembrar de onde,

Qual o nome daquela imagem gravada,

Em que parte de nossas vidas participaram,

E em diversos detalhes os rostos se espalham,

Já esbarrei com muitos assim,

Alguns deles eu tive sim o interesse de parar e perguntar,

Espera lembra-se de mim, te conheço de algum lugar,

Outros, porém passam tão depressa,

Que nem tempo temos a interpelar,

Há também um determinado receio,

Um medo profundo de saber,

Por parte de quem reconhecemos,

Vir a não nos reconhecer,

É algo estranho, diria até encabulante,

Como aquele rosto tornou-se importante,

Se o nosso nem o faz lembrar?

O que de fato fez aquela imagem,

Para em futuro nosso cérebro reconhecer,

Mesmo com o passar do tempo,

Envelhecido, diferenciado,

Acredito que se assemelha a uma energia,

Uma força vital, uma vibração,

Que assegura na certeza,

Que corpos, rostos na verdade não tem beleza,

Existe algo por dentro que marca a impressão,

A alma que carrega que não é vista pelos olhos,

Mas de alguma forma reconhecida na multidão,

Destacando o rosto da cara,

Como coisas totalmente contrárias,

Alertando de certa forma uma assinatura visual,

Algo tão Cósmico e de difícil explicação,

Mas que é ou foi importante na longa jornada de cada Ser,

Algo que muitos menosprezam,

Mas que não deveria assim o ser,

Então só posso dizer,

Lembre-se sempre de mim,

Pois eu me lembro de você.

Anúncios

Sobre KAMBAMI

Quode natura date, nemo negare potere.
Esse post foi publicado em METÁFORA, POEMA, REFLEXÃO e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Obrigado pela visita, seu comentário é mais que importante é fundamental!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s