PRETO VELHO ENSINANDO


PRETO VELHO ENSINANDO

PRETO VELHO ENSINANDO

por Cláudio El-Jabel

Então preparou, pediu de jeito, acreditou?

Fez sua aposta, pediu com fé,

Colocou-se na posição de arriscar?

Mas não fique apenas parado,

Achando que com isso terá a sorte de acertar,

Tente outras formas, jogue de outro jeito,

Aprenda nas apostas, observe direito,

Está a vontade agora, então se achegue,

Vamos conversar, sente-se no toco que primeiro irei escutar,

Prepare também seus ouvidos e deixe a mente bem aberta,

Não curo com comprimido e sim com palavras bem certas,

Muitas vezes pareço arrogante, outras, porém perceberá ternura,

Mas ponha em sua cabeça que não sou novo e sim velho, criatura,

Velho fala pela experiência, pelo que já presenciou,

No mundo nada se cria e nada se inventa,

Tudo que vê hoje em dia, em outros tempos já se passou,

Roda da vida, roda gigante, fale da sua, pequeno iniciante,

Não tenho por costumes indicar caminhos,

Muito menos indico direção,

Deverá aprender a entender primeiro,

Observar meus conselhos,

Aprender a lição,

Seu caminho está a sua frente,

Apenas clareio sua vista,

Para que ao seguir seu destino,

Não o faça pelo tato,

Pois apenas asno anda de quatro,

És gente humana, se é que achas isso bacana,

Então ponha a cabecinha pra pensar,

Se toda resposta fosse fácil,

Seria fácil apenas falar,

Nessa vida de obstáculos,

Onde se mata um leão por dia,

Lembre-se apenas que tombar é sempre fácil,

Difícil é ter forças para arrastar a presa,

Se não tens cabeça perfeita, sai marcando o caminho,

Deixando pistas para as hienas,

E quando menos esperas lhe roubam a caça,

Ai é quando pensas cair em desgraça,

Mas tudo faz parte do seu caminhar,

A boiada, o rio atravessa, mas sempre haverá um boi pra ficar,

Se não queres ser o boi de piranha,

Se assunte e aprenda com o velho,

Quem pita muito o cachimbo,

Mostra de longe a fumaça, mostra que é sério,

Quem tem juízo acende o fogo ao longe,

Para atrair curioso,

E de longe avista certeiro,

A intenção do chegar,

Se chegou pelo fogo e fumaça,

Ou se sentiu algo maior,

Querendo na busca aprender como acende a chama,

Se ela ilumina o caminho ou se assa a carne da caça,

Se de fato quer seguir seu destino,

Ou simplesmente comer o que lhe dão de graça.

Anúncios

Sobre KAMBAMI

Quode natura date, nemo negare potere.
Esse post foi publicado em METÁFORA, POEMA, REFLEXÃO, RELIGIÃO e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Obrigado pela visita, seu comentário é mais que importante é fundamental!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s