ESCONDIDINHO


ESCONDIDINHO

ESCONDIDINHO

por Cláudio El-Jabel

 

Amigo oculto ou fã oculto?

Interessante no mundo virtual,

Quando menos pensamos poder,

Um analisador de visitas nos informa,

Veio do Japão, da América e do Canadá,

Isso para não dizer de Portugal e França,

Visitar meu blog de ideias,

Fico lisonjeado em saber que a escrita não impõe fronteiras,

Eu mesmo sem dominar muitos idiomas,

Faço uso de tradutores para agradecimento,

O que aproveito até mesmo neste momento,

Meus queridos fãs agradecer as visitas,

Comentários que fazem meu pensar,

Entender que sentimentos não têm fronteiras,

E que se aqui veem ler é que não devo escrever besteiras,

De fato tenho muito cuidado nas escritas,

A tempos atrás já até os tive mais,

Porém ao ver tantos falarem o que querem,

Aprendi também a deixar fluir um pouco mais o meu vulgar,

Não que eu vá escrever palavrões em público,

Mas que muitas vezes dá vontade, ah… isso dá,

Mas foco mesmo no sentimento,

Aquele que flui no momento,

De uma ideia, uma visão da vida,

Uma solução definida, uma amizade partida,

Um ato deferido, uma atitude errada,

Coisas do cotidiano da vida,

Que me passam pela frente,

E que em minha mente o julgo vem cobrar,

Olha aproveite e fale, escreva de forma clara,

Use o dom da palavra, mostre onde percebeu o erro,

Aponte o dedo na cara, mostra que não tem medo de nada,

E que aqui também esta para aprender,

Porém não se acovarda ou se mascara,

Vem aqui e bota a cara,

Diz de fato o que pensa, o que é,

Fala de forma clara o que acredita ser correto,

Mesmo que isso não agrade a muitos,

Afinal quem veio ao mundo para agradar?

Viemos todos para experimentar,

E nessa sopa de experiência, há quem se limite apenas tomar,

Não sabe declarar seu gosto muito menos se gosta,

Na verdade mesmo que lhe sirvam bosta,

Muitos sei que hão de tomar,

Não desenvolveram nada, nem mesmo seu paladar,

Então aproveite a sopa de letrinhas,

Pegue seu prato e sirva-se dentre os sabores aqui postado,

Se preferir, puxe sua cadeira e sente ao lado,

Venha apontar seu dedo também,

Sinta-se a vontade, não é casa de Joana,

Nem mesmo sala de debate,

Mas pelo amor de Deus criatura,

Mostre que estás vivo e faça parte.

Anúncios

Sobre KAMBAMI

Quode natura date, nemo negare potere.
Esse post foi publicado em POEMA, REFLEXÃO e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Obrigado pela visita, seu comentário é mais que importante é fundamental!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s