DESASSOSSEGO


DESASSOSSEGO

DESASSOSSEGO

por Cláudio El-Jabel

 

Fico pensando em evolução de espécie,

E me pergunto se de fato há alguma por nossa parte,

Pelo que vejo e que aprendi na história, nada mudou,

Ou melhor, diria os locais, os nomes e provavelmente o CEP,

Pois o mundo continua o mesmo,

E vire e mexe ele se repete,

Não trilhamos pelo caminho melhor,

Não sei se por preguiça ou incapacidade,

Preferimos deixar os belos campos e vir morar na cidade,

Coisa de louco dizem alguns, assim como eu,

Mas há quem diga que errado mesmo sou eu,

Também não me importo, afinal penso da minha maneira,

Querem-se dizer que estão certos,

Mas para mim não passa de besteira,

É isso que nós humanos mais gostamos, o julgar,

Julgamos tudo que acreditamos, mas continuamos a errar,

Eu de certa forma ainda me olho ao espelho,

Feio que sou, fico até com medo e receio,

Pois me conheço, sei de minha capacidade,

Mas prefiro trilhar pelo bem e pela boa vontade,

Utopias dizem uns, loucura dizem outros,

Mas na verdade o futuro nos aponta,

E mostra claramente o meu desassossego,

Uma mudança não só em nosso comportamento,

Mas outra pior, aquela que remexe com o tempo.

 

Anúncios

Sobre KAMBAMI

Quode natura date, nemo negare potere.
Esse post foi publicado em METÁFORA, POEMA, REFLEXÃO e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Obrigado pela visita, seu comentário é mais que importante é fundamental!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s