COTIDIANO


COTIDIANO

COTIDIANO

por Cláudio El-Jabel

Manhã fria mais cheia de beleza,

Preparar as tarefas do dia para poder começar,

Resolver as pendengas, separar e separar,

Para organizar o dia e por tudo em seu lugar,

Assim começa o dia, de grande parte das pessoas,

Diria um dia cotidiano, que nem sei se é uma boa,

Outros tantos, porém são classificados com a bunda pra lua,

Acordam bem mais tarde, tomam seu café farto de iguarias,

Vão para as suas piscinas lerem os jornais, revistas de moda ou coisas banais,

Muitos não se interessam por notícias comuns,

E preferem mais as partes cambiais,

São os ricos, os milionários,

Que se destacam dos outros iguais,

Mais coexistem em um mesmo planetário,

Respiram do mesmo ar que respiramos,

Comem da mesma terra que colhemos os alimentos comuns,

Mas se julgam bem superiores,

Muitas vezes nem mesmo alcançaram a riqueza com sua labuta,

E sim herdaram de outro qualquer filho de uma puta,

Parece que estou falando com a inveja a olhos vistos,

Mas na realidade estou apenas alertando um desperdício,

Para que tanta pompa, tanto desfile de riqueza,

Se num apertar de botão, nem eles vão provar da sobremesa?

É de fato uma vida louca, onde uns tem muito a esbanjar,

Enquanto a grande massa do povo mendiga o pouco que consegue conquistar.

 

Anúncios

Sobre KAMBAMI

Quode natura date, nemo negare potere.
Esse post foi publicado em METÁFORA, POEMA, REFLEXÃO e marcado , , . Guardar link permanente.

Obrigado pela visita, seu comentário é mais que importante é fundamental!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s