O TRONO DO FILHO


anjos-38

O Bom Sacerdote

Estava eu meditando e percebi que o bom sacerdócio é aquele onde o que sabe passa ao que procura os esclarecimentos de suas dúvidas sem amarras e sem compromisso de seguidores.

Penso eu que o falar já é algo manipulável, mesmo porque no decorrer de nossas vidas aprendemos a utilização da fala de forma a moldar a compreensão ou de persuadir a quem nos ouve.

Um sacerdote não tem que falar coisas belas para parecer o que ele não é, pois sabemos que ele é igual a nós sem diferença, composto de erros, tombos, desventuras, mágoas, sonhos e tudo mais que envolve a natureza humana.

O Sacerdote deve em primeiro plano ter a certeza, sim, ter a certeza de que pela sua experiência e sua trilha a procura do caminho, já o tenha compreendido, não como o mais plano e sim como aquele que lhe ensinou a direção da chegada.

Ele deve fazer com isso que os que dele procuram respostas, possa passá-las de forma clara e não exigir que as sigam como verdades ou como fiéis, pois a mudança é necessária para própria adaptação da evolução humana , cultural e espiritual.

Seguimos nossa trilha sempre baseados nos ensinamentos que recebemos de outros mestres e mesmo assim não os seguimos fielmente, pois nossa realidade já é outra.

Assim também devem ser a de todos, ouvirem, separar o que lhes servem como dica da trilha e sair na caminhada sempre deixando espaço para ir buscando novas formas de andar nessa trilha.

Como já nos dizia Confúcio os poemas servem para ajudar-nos a pensar e não para pensar por nós, logo o sucesso é ler, entender e buscar dentro deles a sua verdade e para tal a necessidade de usar e abusar de pensamentos, usando a mente, o coração, a disciplina, a razão e principalmente a emoção.

O bom sacerdote é o mesmo que um bom professor, ele consegue passar as novas gerações as experiências antigas sem colocar algemas nos novos discípulos, deixando-os livres para usar a filosofia do passado sem esquecer-se dos desafios do futuro, diferentes e com novas propostas de posturas deveram ser adaptados da forma melhor sem perder a essência primeira.

O poema é a forma mais bela de falarmos com o coração, com a alma, com o que trazemos dentro de nós.

Neles estão sempre impregnadas a vivência, os olhares, cheiros, aventuras e desventuras, os fracassos, os sucessos, a alegria de entender que a vida é algo sagrado, que o viver em si já é uma benção e o saber se distinguir entre o grande rebanho como algo único é amar-se a si e assim poder estruturar o próprio amor e redistribuí-lo aos seus semelhantes.

Ver a luz onde somente há trevas, perceber cores no vento que sopra, sentir o cheiro da liberdade e perceber que mesmo sem asas, estamos em voo na busca de nossa essência prima.

Para tanto uma viagem imaginária é algo fantástico e nem por isso uma fantasia.

Imaginar, sonhar ou fantasiar nem sempre são antônimos de suas realizações e sim princípio ativo do poder de recriar, elaborar, buscar, decodificar já que entendemos o elemento principal, o tempero, esse que não pode ser tocado, não pode ser visto, mas quem trilha o caminho estará sempre recebendo suas beneficies.

Meditar é algo importante aos que planejam tornarem-se instrutores, pois na meditação elevamos nossas dúvidas para elaborações de soluções, aplicamos de forma básica e sem receio, várias formas de serem solucionadas, obtendo as respostas mais satisfatórias que se adaptam aquela situação, condição e momento.

Sendo assim me deparo com o cansaço e em sono profundo caio ao chão.

Minha mente continua a trabalhar e não sei se foi sonho ou visão real a qual descrevo em verso o diálogo com a bela forma angelical que me coloca não dúvidas e sim solução para aflição que me abala, de forma reta, sem rodeios, mostrando que com trabalho árduo é que mantemos o sementeiro.

Só pensando…

O TRONO DO FILHO

Por – Cláudio El-Jabel

Seria tão bom se nos olhos houvesse uma câmera, ( já há veja nesse link – FILME E FOTOGRAFIA COM OS OLHOS )

E que a tudo que víamos pudéssemos gravar em filmes,

Mas só nos é permitido em memória e essa muitas vezes apaga-se,

Seja por traumas da vida, seja por medo da revelação,

Muitos de nossos conhecimentos assim são descartáveis,

Por mais que tentemos depois de um tempo relembrar,

No turbilhão de imagens e mensagens com certeza um dia irão se apagar,

Hoje mesmo tive uma imagem que é difícil de ocorrer,

Vi claramente em minha frente uma bela “anja”aparecer,

Era linda, em uma mistura de flor, borboleta e coração,

Pensei que fosse miragem ou simplesmente ilusão,

Porém ela aos poucos se aproximou e falando suave me disse,

Meu lindo Ser o que o deixa assim tão triste,

Tenho lhe observado a um bom tempo,

E sempre que lhe vejo com mais atenção,

Percebo em você mesmo alegre, escondendo uma aflição,

Resolvi aproximar-me de ti e conversar como anja que sou,

E fazê-lo mais feliz ou quem sabe, resolver esta aflição,

Tenho poderes para tal e desejo de fato saber,

Como alguém tão espiritual, sente-se triste logo ao amanhecer?

Rapidamente me recomponho e em resposta rápida tento disfarçar,

Não!, Impressão sua, eu sou assim mesmo, sisudo talvez,

Mas tristeza comigo nunca tem vez,

Ela sorri e me diz: Ta bom! até parece que nada percebo,

Esqueceis que sou anja e a tudo eu farejo,

Sei sim que algo lhe incomoda e gostaria muito de poder ajudar,

Não é nem missão que devo cumprir, pois não sou sua guardiã,

Apenas lhe admiro, talvez até como uma fã,

Sei quase tudo de você, porém em sua mente algo me bloqueia,

Então curiosa que sou, desci e cá estou, como uma bisbilhoteira,

Mas se de fato não estás triste, porque do susto ao perguntar,

Não cheguei de repente e de longe já o vinha a lhe chamar,

Eu digo, desculpa anja, você tem toda razão,

Eu que sou um bobo mesmo e tento disfarçar meu sentimento,

Como se isso me ajudasse em algo,

Ou como pudesse eu escondê-lo do tempo,

Não tem problema, você me conta e fica tudo somente entre nós,

Não há nenhuma outra testemunha que possa nesse momento ouvir sua voz,

Fale-me tudo, prometa-me nada esconder e quem sabe com minha magia de anja eu possa te favorecer,

É algo pessoal, algum amor encrencado, pois tu és homem e como sei, são todos atolados,

Não! Digo eu, nada sobre amor, quem dera isso ser, pois de amor até eu mesmo saberia resolver,

Então vamos, não perca mais tempo, conte-me logo, pois este poder de ver não tenho,

Você tem um verdadeiro dom de bloqueá-lo em pensamento,

Tentei encontrar a chave para abri-lo, mas vi que o guarda a sete chaves,

O que será meu lindo que lhe aflige e que considera assim tão grave?

Meu problema é minha terra, meu planeta,

Vejo tudo errado e não percebo solução,

Enquanto uns caminham ao meu lado na tentativa de acertar,

Uma outra massa grande de gente faz o inverso, quando não a sabotar,

Mas diz-me então quais são suas diretrizes para o problema,

Consegue resolvê-lo, tens alguma articulação preparada,

Sabe o caminho que pode chegar, sem ficar pela estrada?

O problema é esse, como envolver pensamentos,

Como fazer pessoas diferentes terem o mesmo conceito,

Como inverter essa guerra entre irmãos,

Como salvar meu planeta, e semear a compaixão?

Bem isso de fato é algo difícil, pois enquanto ser vivente carregas o livre arbítrio,

Não haverá nenhuma profecia, muito menos guerra final, isso posso-lhe garantir,

Andei também pesquisando outras mentes por ai,

Já tens um plano de como começar, ou trata-se apenas de sonho,

Ao qual imaginas que eu como anja venha a solucionar,

Sonhar é algo belo, é ferramenta da criação,

Porém há de sermos sincero, sem trabalho árduo não dá não,

Mas trabalhar é algo que faço, semeio a tudo e a todos,

Sempre levando a palavra da união, sempre apresentando  o que acredito ser verdade,

Sempre fazendo com que sintam, que sigam o caminho,

Que analisem com retidão e que pensem sozinhos,

Não gosto de articular pensamento, gosto de semear a proposta,

É bem mais belo colher o fruto que nasce,

Pois percebemos como se formam as raízes,

E cada árvore dá o que pode, algumas mais, outras nem tanto,

Porém sempre crescem de forma satisfatória,

Sombreando mesmo que seu próprio tronco,

É uma proposta difícil tentar fazer pessoas entenderem,

Pois o que fazemos aqui é para que todos cresçam,

E mais adiante quem sabe em uma volta,

Encontremos nossas marcas feitas no chão,

E reconheceremos nossa passagem no tempo,

Sabendo que aqui plantamos uma vez,

E que a nossa semeadura cresceu, deu frutos e tornou a semear,

Fazendo o movimento eterno da roda, fazendo tudo voltar,

Uma vez pensei eu que poderia me recriar, faria tudo como antes,

Mexeria no tempo e deixaria tudo como era,

Mas com isso também iria eu parar o movimento da terra,

Não seria justo manifestar assim a força da vontade,

Logo deixei de lado essa proposta e partir para novos pensamentos,

Mas fiquei perdido de como fazer o que quero sem mexer com o tempo,

Mas diga-me afinal o que pretende, pois parar o tempo assim o que afetaria essa gente?

Não sei se ajuda o que tenho como suposta solução, mas te direi em voz alta e bom som,

Não pare o tempo, não pense no poder de mudar nada,

Siga seu caminho, construa o que podes sem interferência,

Faça seu trabalho mesmo que não tenha ajuda alguma de seu semelhante,

Mas tenha certeza que tanto eu como outros que lhe observam,

Estaremos na tarefa com você a trabalhar,

Seja em mensagens no sonho, seja em visitas assim visuais,

Saiba que Deus lhe observa, sabe de todas as suas intenções,

E se ele não lhe facilita é porque quer ver algo maior,

Ele conhece seu poder, sua força, sua paixão,

E quando menos espera ele lhe fará superar os obstáculos,

Não haverá pedras que não levante, não haverá monte que não chegue ao cume,

Não haverá dúvidas em seu semblante, nem mais problemas por resolver,

Pois sentarás ao trono que lhe pertence ou que um dia veio a lhe pertencer.

Copyrighted.com Registered & Protected 
EPEM-ZG5U-WLXI-TE83

Anúncios

Sobre KAMBAMI

Uma metamorfose humana do conhecer e aprender. Simples porém exigente. Bem sobre o autor desse blog, me parece ser um cara legal, gosta de conversar, dar pitacos aqui e acolá. Procuro ser o mais sincero que a vida me permite, adoro amizades, sou tímido acreditem também uma metamorfose ambulante como diria Raul. Adoro cozinhar, mas na escrita sou mesmo comilão, como acento, concordância verbal, minha gramática de fato anda bem mal, mas sou um cara legal. Tenho muito gosto em escrever o que me vem à mente ou o que me chega aos ouvidos e visão, sou um observador nato desde minha aparição. Aqui é um palco de teatro não se engane há muito de quem escreve e muito de fantasia, mas não há bilheteria, então sinta-se a vontade, puxe sua cadeira e sente, estou quase sempre presente, me enrolo muitas vezes nessa de seguir quem me segue, me perco nesse mundo danado de internet. Não sou esnobe, sou pessoa bem simples, gosto da natureza, da boa mesa, do bom papo, não tenho hora, não uso relógio para controlar meu tempo, a muito me deixei ser levado ao vento, ora furioso que me derruba e machuca, ora bondoso que me embala em doçura. Chamo-me Cláudio El-Jabel, também podem me chamar de Kambami ou Kael, adoro distribuir carinho sem intenção outra que não seja da amizade ser bela, ser amiga, ser sincera, entendo que nossa vida é algo muito rápido e nem sempre dá tempo de nos conhecermos melhor, mas essa é minha apresentação, muito prazer, eu não esqueço vocês, já os tenho em meu coração, sejam bem vindo então.
Esse post foi publicado em METÁFORA, POEMA, REFLEXÃO e marcado , . Guardar link permanente.

Uma resposta para O TRONO DO FILHO

  1. Pingback: #REPUBLICAR-2 | UNOBTAINIUM

Obrigado pela visita, seu comentário é mais que importante é fundamental!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s